thayná coelho

yoga, web & etc

postura do guerreiro 2 na lua cheia

as flutuações da mente de uma yogini

yoga é uma prática. é algo que só é possível compreender praticando. o yoga deve ser praticado 24 horas por dia. não somente posturas, pranayamas e meditação no tapetinho. yoga é aquela respiração profunda antes de brigar com alguém, é o diário em que você escreve pra se conhecer melhor, é saber quando silenciar e quando falar, quando fazer esforço e quando relaxar. yoga é o equilíbrio. e o equilíbrio é individual: cada um descobre o seu praticando. mas o equilíbrio também é fluido. muda em cada fase da vida.

yoga é complexo. mas também é simples: você escolhe uma prática, um horário e um lugar e pratica todos os dias. yoga é um jeito de viver. yoga é aceitar os seus pensamentos e sentimentos.  “aceita que dói menos”, já diziam os yogis e budistas há milhares de anos. mas, lembre-se: aceitação não é letargia. aceitar é reconhecer que os seus pensamentos e sentimentos existem, que eles são tão reais quanto o seu corpo, que eles são resultados de reações químicas no seu corpo, mas que eles não são você. e você não pode se deixar controlar por todos eles. se você não aceita o que te incomoda, você não pode mudar.

yoga é auto-conhecimento. yoga é entender os seus padrões mentais e físicos. yoga é reconhecer os que são mais fortes e repetitivos aqui e agora. yoga é saber que esses padrões não estão escritos numa pedra e sempre podem ser reescritos. yoga é rebeldia. yoga é liberdade. de movimento, de quietude, de escolha.

yoga não é o tempo que você leva pra tocar os dedos dos pés ou para fazer uma invertida sobre a cabeça. yoga é o que você aprende no caminho. é o ajuste que você faz para não se machucar e se permitir continuar praticando. yoga é aquele meio sorriso numa postura difícil. yoga é contentação. yoga é rotina. yoga é o que fica quando todo o resto muda. a prática diária é o fim, não o meio.

yoga é se deixar chorar e se deixar sorrir. yoga é não-julgamento. se você está bravo, você está bravo agora. se você está feliz, você está feliz agora. mas esses sentimentos passageiros não controlam suas ações. você continua praticando. você abre o seu coração.

yoga é reconhecer que as poucas ações que podemos controlar são as que mais importam. yoga é a gentileza altruísta, quando menos se espera. yoga é aceitar que, mesmo que você não tenha pedido pra nascer, você pode aproveitar a oportunidade de estar aqui e agora, sem reservas. yoga é perceber que onde quer que você vá, você não pode fugir de si mesmo. é aceitar que, mesmo que você não saiba quem você é, você pode escolher o que você faz, um dia de cada vez, porque só existe o agora.

yoga é interdependência. é saber que você faz parte de uma rede de pessoas sem as quais a sua vida seria completamente diferente: a pessoa que faz o pão que você come todos os dias, a pessoa que dirige o ônibus que te leva pro trabalho, a pessoa que montou as peças que formam esse ônibus, as pessoas que construíram sua casa, as pessoas que fazem as roupas que você compra. sua vida é influenciada por todas essas pessoas e você influencia a vida de todas elas também.

yoga é aceitar que todos os seres buscam o contentamento e a cessação do sofrimento, consciente ou inconscientemente. yoga é consciência. yoga é saber o que está dentro e o que está fora do seu controle. yoga é perceber que onde quer que você vá, você não pode fugir de si mesmo.  yoga é fazer o que você sabe que está dentro do seu controle e não se preocupar com o que não está. e só.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *